22/04/2019

Jornada do Consultor | Marina Horta

22/04/2019

por Marina Horta

Me chamo Marina Horta, tenho 23 anos e estou no último período de Engenharia de Produção na UFMG. A escolha do meu curso foi muito difícil, pois não tinha noção alguma do que queria fazer para o resto da vida. As carreiras de medicina, direito e engenharias não me traziam brilho nos olhos. Sentia que queria viver experiências profissionais diversas e acabei escolhendo um curso que me parecia versátil. Mal sabia eu que esse perfil encaixaria perfeitamente ao dia a dia de uma consultoria.

Logo nos primeiros períodos de faculdade, entediada com o ciclo básico, me encantei com o mundo de empresas juniores. A ideia de poder atuar no mercado profissional e ter grandes responsabilidades tão jovem me pareceu um desafio e tanto, e assim, comecei a provar o gosto de consultoria na PJ, empresa júnior de engenharia de produção e mecânica da UFMG.

Lá eu trabalhei com comercial, com visitas a clientes e apresentação de propostas, e finalizei minha trajetória sendo gerente de um projeto de pesquisa de mercado, com aplicação do método QFD. Nesse período como júnior conheci a EloGroup, que é parceira da PJ, e me apaixonei. Brinco que foi um amor à primeira vista e desde então sabia que tentaria ser estagiária da EloGroup algum dia. A ideia de uma empresa com consultores jovens, engajados e sedentos por gerar resultados me fascinou.

Estudando na UFMG, tive a oportunidade de participar do programa de intercâmbio Minas Mundi, no qual temos bolsa em universidades estrangeiras. Por meio dele, fui para Glasgow, na Escócia, onde morei por 5 meses e estudei na University of Strathclyde. Fiz matérias em engenharia de gestão e empreendedorismo, o que me acrescentou muito e me ajudou a compreender os meus interesses no mercado de trabalho. Voltei cheia de sonhos e com vontade de retornar para o Brasil o investimento que fizeram em mim.

De volta a realidade brasileira, comecei a estagiar em uma empresa de base tecnológica no mercado energético chamada AALOK. Minhas funções como estagiária eram de auxiliar os donos da empresa a ter um olhar clínico de gestão e inovação para alavancar os resultados, que eram muito promissores. Apesar de ter amado essa experiência, o meu interesse por consultoria era latente e o meu sonho em poder ser parte da EloGroup era ainda maior. Eu precisava fazer parte dessa consultoria.

No fim de 2017, recebi uma ligação do time de processo seletivo, me convidando para participar de uma case interview. Infelizmente, não fui selecionada e fiquei com o coração partido.

Como boa brasileira e de coração domado, eu sabia que eu conseguiria uma segunda chance. Talvez por culpa do destino, acabou sendo muito certo eu não passar naquele momento.
Coincidência ou não, em janeiro de 2018, consegui uma bolsa parcial em um curso de gestão estratégica e inovação na Pearson College, em Londres. Foram as 3 semanas mais incríveis que vivi nesses meus 23 anos. Me dediquei tanto, que acabei recebendo um prêmio de destaque no curso no fim de 2018, e por um momento, agradeci por não ter sido selecionada na EloGroup. Se eu tivesse sido, eu não teria vivido essa experiência que mudou a minha vida. Steve Jobs já nos lembrou: “You can’t connect the dots looking forward; you can only connect them looking backwards”.

Tudo no tempo certo.
Logo no meu retorno de Londres, fui convidada para uma entrevista em uma outra consultoria em gestão. Estagiei lá por 4 meses e encontrei desafios do mundo da consultoria que foram surpreendentes. Essa experiência me mostrou que eu estava no caminho certo, mas que devemos sempre buscar trabalhar com propósito e devemos compactuar com a cultura da empresa.

Em maio de 2018 participei novamente do processo seletivo da EloGroup. Como eu já havia participado em 2017, tive um fast pass e entrei na etapa do curso de Design Thinking com uma dinâmica para solução de um problema, seguida de uma case interview. Foi um processo muito desgastante para mim, pois tinha uma pressão pessoal de que eu precisava passar a todo custo. Estudei muito, me preparei e me dediquei virando noites para fazer o case. Um dia depois da minha entrevista, recebi a ligação de convite para entrar para o time ASAP. GLÓRIA!!! Foi uma sensação muito melhor do que passar na UFMG ou tirar a carteira de motorista. Até que enfim eu era uma Elogrouper.

Em 7 meses de EloGroup já participei de 3 projetos em áreas totalmente distintas, o que me fez colocar a prova a habilidade de aprender rápido. Tomei conhecimento sobre TI, gestão por processos, dimensionamento de pessoal, planejamento estratégico, entre outros assuntos. Trabalhar na EloGroup significa aprender muito, diariamente, ver seu esforço e dedicação sendo valorizados, assim como seus pontos de melhoria colocados na mesa para buscar sempre a sua evolução como consultor. É muito gratificante e parece mesmo um sonho.

Fora dos projetos, com o famoso DNA empreendedor, participamos de iniciativas internas do planejamento estratégico com o objetivo de alavancar o crescimento da base e tornar as melhorias de dentro da empresa sustentáveis. Hoje, eu participo da frente de Qualidade de Vida e faço parte de grupos de desenvolvimento dos temas de Customer Experience e de Finanças. Essa cultura tem o fit perfeito com o meu perfil e sinto de verdade o sentimento de dono pela EloGroup, por me ver responsável pelo meu sucesso.

Não são só os projetos, eu não possuo palavras que descrevam o quanto eu verdadeiramente amo as pessoas com quem eu tenho contato. São pessoas nas quais eu me espelho, e talvez poder conviver com elas faça todos os momentos difíceis valerem a pena; consultores jovens, porém com experiência, inteligentes, mulheres fortes, todos com sede de mudança e que veem no sucesso do colega, o seu próprio sucesso. A cultura colaborativa faz toda a diferença para mim, e com certeza, quero poder imergir nela por muito tempo ainda.

Meu sonho na EloGroup só começou a ser realizado.

Ficou com alguma dúvida? Mande um e-mail para contato@elogroup.com.br